Logo Instituto Recomeçar
Recomeçar desembarca em Brasília

Recomeçar desembarca em Brasília

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Depois de Recife, agora é a vez de Brasília-DF receber uma unidade de atendimento do Instituto Recomeçar. Ceilândia foi a cidade escolhida para abrigar o escritório da ONG paulista, nosso escritório esta instalado dentro a sede da Fehslona que atua a mais de 20 anos na região da Ceilândia.

A oficialização do serviço no centro oeste teve a presença do fundador Leonardo Precioso e autoridades locais que trabalham com a ressocialização do ex-detento.

Baseado na metodologia aplicada em São Paulo, a unidade brasiliense atender Egressos do sistema penitenciário. As vagas de emprego serão disponibilizadas através de parcerias firmadas com a FUNAP/DF Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso e ONGs que prestam serviço social que na região.

A oficialização do serviço no DF contou com a presença do fundador do Instituto Recomeçar Leonardo Precioso, e autoridades sociais ligadas ao tema.

Ceilândia é uma das cidades satélites que nasceram no rastro da fundação do Distrito Federal.

De acordo com uma pesquisa distrital realizada pelo governo local, Ceilândia é o município mais populoso da região e com forte presença nordestina.

Segundo o levantamento, são cerca de 70% de nordestinos divididos entre baianos, cearenses, maranhenses, pernambucanos e piauienses.

Emancipada como Região Administrativa em outubro de 1989, Ceilândia tem 433 mil habitantes, com origens que remontam ao início dos anos 70 do século passado, mais especificamente, março de 1971.

Foi neste ano que teve início a transferência de cerca de 82 mil moradores das ocupações não regulares da Vila do IAPI, Vila Tenório, Vila Esperança, Vila Bernardo Sayão Colombo e Morro do Querosene, para os setores “M” e “N”, ao norte de Taguatinga. O projeto de relocação, chamado de Campanha de Erradicação de Invasões – CEI, daria o nome à cidade.

Em Ceilândia, a população feminina é maior, representando 52, 5%.

Outro dado importante é que cerca de 37% dos ceilandenses trabalham na própria região. A renda domiciliar média da população é da ordem de R$ 2.407, e a renda per capita é de R$ 604.

Ceilândia possui dinamismo próprio e oferece um terço dos postos de trabalho aos seus moradores.

Entre Muros.

O Distrito Federal tem 1.750 reeducandos do sistema prisional inseridos no mercado de trabalho.
Segundo o DEPEN, a população carcerária de Brasília está na casa de 16.048 detentos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Livro Recomeçar:

o cárcere e a necessidade de se transformar no país imutável.

A Renova Eco Peças emprega entre outros profissionais, Douglas Oliveira, egresso do sistema penitenciário indicado pelo Instituto Recomeçar.